Impressões sobre a Naturaltech 2022 – maior feira de produtos naturais da América Latina

Voltar para Histórias de Impacto

Texto de Fabiana Munhoz, líder da área de Acesso a Mercado, da Conexsus.

Entre os dias 8 e 11 de junho estive na cidade de São Paulo para conferir de perto a maior feira de produtos naturais da América Latina, composta pela Bio Brazil Fair, de orgânicos e agroecologia, e a Naturaltech, de alimentação saudável e produtos naturais. Com o tema ‘Universo natural de inspiração’, durante 4 dias, mais de 700 expositores apresentaram no Pavilhão de Exposições do Anhembi as últimas tendências do setor de produtos naturais e orgânicos.  

Vi produtos vegetais alternativos às proteínas animais, soluções práticas para refeições naturais e orgânicas pré-preparadas e uma infinidade de misturas de castanhas, granolas, frutas secas, kombuchas e barrinhas de cereais. E vi também um público que lotou a feira, comprovando que a preocupação com um estilo de vida mais saudável deixou de ser tendência para se tornar uma realidade. 

No entanto, apesar da grande procura, e do fato de estarmos no Brasil – o país mais biodiverso do mundo, não pude deixar de notar a forte presença de insumos importados e a ausência de diversos ingredientes genuinamente brasileiros, como a castanha de baru, que ainda não ocupam lugar de destaque nesse mercado, o que a meu ver reforça a importância do trabalho de organizações que apoiam o desenvolvimento dessas cadeias produtivas e a sua promoção comercial. 

Como é o caso do movimento ‘Amazônia em Casa, Floresta em Pé’, que reuniu em um estande mais de 30 empreendimentos e organizações comunitárias que oferecem produtos, com responsabilidade social e ambiental, da Amazônia; e de  estandes organizados por diferentes estados, a exemplo da Bahia, que promoveu produtos da agricultura familiar. Todas iniciativas que merecem seu devido destaque.

Além dos expositores, a feira também contou com oportunidades para diálogo e troca de conhecimento. Entre elas, evidencio a apresentação da @ecocert-brasil sobre a certificação regenerativa ROC (Regenerative Organic Certified), um padrão de certificação internacional desenvolvido pela Aliança de Agricultura Regenerativa, baseado em três pilares: saúde do solo, bem-estar animal e justiça social (comércio justo). 

Essa certificação, mesmo ainda em estágio inicial de desenvolvimento, mostra uma tendência crescente, ao reunir diversos padrões de certificação existentes em um único selo, a ser adotada por grandes empresas. 

Em igual medida, faço menção à palestra ‘Propósito e Tecnologia no Varejo: impacto no sortimento das novas escolhas de qualidade de vida’, que reuniu atores importantes do varejo para abordar os novos padrões de consumo introduzidos pela pandemia, o aumento das vendas no varejo online, a importância do segmento de orgânicos e os esforços para o desenvolvimento de uma cadeia de alimentos mais responsável. 

Os desafios são diversos, mas múltiplas também são as oportunidades, e saímos do evento com a sensação de que estamos fazendo as conexões certas, ao perceber completo alinhamento com a estratégia de acesso a mercados da Conexsus, onde atuamos na ativação do ecossistema para estruturar soluções comerciais adequadas para a realidade dos negócios comunitários e para alavancar o consumo de produtos rurais e florestais produzidos de forma sustentável nos grandes centros urbanos.

As visões expressas nos artigos de opinião publicados no blog da Conexsus são de responsabilidade dos respectivos(as) autores(as) e não necessariamente refletem a visão da organização