Nossos
resultados

Conexsus em números

Modelagem
de negócios

  • 82

    Aplicações da metodologia “Trilha de Desenvolvimento” para compreender o estágio de desenvolvimento e maturidade das organizações;

  • 27

    Cooperativas/associações e 8 instituições parceiras engajadas em oficinas imersivas de modelagem em Belém (PA) e Alta Floresta (MT);

  • 21

    Cooperativas/associações mentoreadas em programa de aceleração de negócios;

  • 07

    Mentorias com especialistas para apoiar demandas específicas;

  • 05

    Webinários coletivos para aprofundar temas de interesse comum;

  • 03

    Imersões presenciais totalizando mais de 80 horas de atividades diretas em temas como planejamento e gestão, educação financeira e novas tendências de mercado.

  • 65

    Sessões de consultoria especializada apoiando a implementação dos planos;

  • 08

    Protótipos de negócios agroflorestais.

Acesso a
Mercado

1020

demandas por produtos e insumos sustentáveis informadas pelas empresas cadastradas

250

empresas mapeadas como potenciais compradoras de produtos da sociobiodiversidade

5

negociações em andamento, com 20 acordos comerciais já firmados, envolvendo 10 ofertantes.

Entre as principais cadeias demandadas, estão produtos da sociobiodiversidade (açaí, castanhas – como baru, do Brasil e caju, bem como óleos e sementes) e da agricultura familiar (cereais orgânicos, leites e derivados orgânicos, frutas diferenciadas, mandioca e hortaliças)

Finanças
de impacto

R$ 4,9 M

em cinco financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para cooperativas de extrativistas e agricultores familiares;

7.500 FAMÍLIAS

175.000 HECTARES

impactados com financiamento para atividades produtivas sustentáveis

26 operações do Fundo Conexsus, que alavancaram

R$ 1,3 M

em receita das vendas e

R$ 6 mi

de crédito de outros investidores

02

primeiras
operações

de crédito para o manejo florestal madeireiro no Brasil para duas organizações agroextrativistas com atuação na Reserva Extrativista Verde para Sempre, em Porto de Moz, no Pará

Mudança do Manual
de Crédito Rural,
que incluiu os
extrativistas no
tratamento
preferencial

que já era concedido aos agricultores familiares que utilizam sistemas de produção orgânicos ou agroecológicos

Desenvolvimento de

uma rede de
ativadores de
crédito

com atuação
nos territórios junto
a cooperativas
e associações