Trilhas para Exportação: organizações são capacitadas para acesso a mercado internacional

Voltar para Histórias de Impacto

Quarenta (40) organizações de impacto socioambiental de todo o Brasil, entre associações, cooperativas e pequenos e médios negócios, deram no último mês mais um passo em direção à sua internacionalização.

Elas foram selecionadas, por meio de chamada do programa Trilhas para Exportação, para uma jornada de capacitação que irá habilitá-las para a exportação de produtos da sociobiodiversidade brasileira.

“Um dos principais obstáculos para que as organizações entrem no mercado internacional é, para além da barreira do idioma, a falta de conhecimento sobre como operacionalizar esta internacionalização”, defende Johann Schneider, fundador da Schneider & Associados, consultoria em comércio exterior, e um dos facilitadores da iniciativa.

“O programa [Trilhas para Exportação] ajuda justamente a suprir esta lacuna e auxilia ainda na aceleração da curva de aprendizado e integração dessas organizações, para que possam acessar um mercado cada vez mais aberto aos produtos de origem sustentável e rico de oportunidades”, afirma.

A capacitação, iniciada em 18 outubro, se estende até 10 de dezembro, de forma inteiramente virtual, com conteúdos informativos, exercícios remotos e rodas de conversa, proporcionando mais de 28 horas de qualificação.

Os dois primeiros módulos do programa, encerrados na sexta-feira (12), trouxeram informações e debates sobre ‘Oportunidades do Mercado Internacional’ e ‘Preparação para o Mercado Internacional’.

“As trocas têm sido muito ricas. São produtos excepcionais, com grande potencial de mercado, e pessoas dispostas a aprender”, afirma Monnike Garcia, fundadora da Labcomex e do Hub Mulheres no Comex, e facilitadora da iniciativa. Ela também destaca o diferencial do projeto que traz para as capacitações técnicas o olhar inclusivo, abordando tópicos que favorecem a igualdade de gênero e inclusão social dentro do comércio exterior. “Quando exportamos, estamos aumentando a corrente de comércio, mas também impactando o nosso meio e a nossa comunidade”, justifica.

A jornada de capacitação do programa Trilhas para Exportação conta com o suporte do programa Partnerships for Forests e do Programa de Facilitação de Comércio Brasil – Reino Unido, apoiados pelo governo britânico no país e implementados pela consultoria Palladium.

A iniciativa conta também com a parceria da Associação Floresta Protegida, Bio Fair Trade, Central do Cerrado, COOPAVAM, Empório do Cerrado, Mulheres no Comex, Observatório Castanha-da-Amazônia, Origens Brasil, UNICAFES e WWF.

Até o fim do ano, as organizações também serão capacitadas em ‘Marketing’ e ‘Operações’.