A essência da vida não está nas coisas. Está no nó invisível que ata as coisas

Voltar para Histórias de Impacto

#ComunidadeConexsus

“A essência da vida não está nas coisas. Está no nó invisível que ata as coisas”, dizia Antoine de Saint-Exupéry.

Bom, nos tempos de hoje, é provável que um adolescente que leia isso imagine que o “nó invisível” é a internet…

Mas não. O “nó invisível” são pessoas. Pessoas discretas, low-profile, invisíveis no tempo (ainda que não o sejam no espaço) — mas dedicadas, capazes e, especialmente com senso de missão.

E a missão das pessoas em questão é a de conectar, que vem de uma crença ou uma intuição no coletivo, na rede forte. É dessa forte rede que o ser humano alcança as duas coisas que mais preza no século XXI, segundo Zygmunt Bauman: a segurança e a liberdade.

Uma rede com muitos nós é segura e estável. E ao mesmo tempo, se um determinado “nó” precisa se desatar pra se amarrar noutra rede, ele tem liberdade de fazê-lo, justo por saber que a rede que deixou continua segura.

Essa é uma das coisas que me interessa na Conexsus, o papel de liga, de nó invisível, pra promover ações que – desde meus tempos de hippie – eu acreditava mas quase nunca vi na prática: negócios comunitários mais sustentáveis.

Outra coisa que a Conexsus busca e que me interessa é um novo modelo de desenvolvimento, que eu também sempre acreditei mas nunca vi – desde meus tempos de comunista. Aliás, quem aqui já viu ou tocou o desenvolvimento sustentável?

Hoje, não sou nem hippie, nem comunista. Sou cientista e, preciso confidenciar a vocês, que aí a Conexsus também me interessa, e muitíssimo! Ela testa grandes hipóteses. Só que o método por trás do experimento aqui é outro: não é ensinar ou impor nada a ninguém; não é pregação de um dogma de nicho.

O método que vai testar a hipótese da Conexsus é o da conectividade, o de criar nós, pra fortalecer uma rede que ampara uma ideia e constrói coletivamente uma prática. Significa criar confiança e construir parcerias. Com esse método, eu creio, a hipótese da viabilidade do desenvolvimento sustentável pode vir a se confirmar. E com estilo.

Contudo, experimento é risco, hipóteses podem se confirmar ou não, e por essas e outras, a gente precisa fortalecer a rede com alguns nós a mais. Especialmente nós que tenham mais juízo que a gente. Valmir e Carina vêm me provocando pra montar um conselho pra pensar estratégias juntos do nosso time. E entendo que essa seja minha pequena e prazerosa missão nesse meu início de Conexsus.

Tá vendo? Agora entendo melhor o Saint-Exupéry: já me sinto um pequeno nó, invisível, com a mais bela das missões: de atar coisas por uma causa que todos nós aqui acreditamos. Logo, vocês também são esses pequenos nós, cada qual com uma bela missão. Desfrutem!