Conexão Semiárido: projeto promove oficinas de modelagem de negócio com cooperativas da Bahia e Piauí

Voltar para Histórias de Impacto

A Conexsus realiza entre os dias 02 e 16 outubro uma rodada de oficinas de modelagem de negócio com agricultores familiares do Sertão do São Francisco, na Bahia, e da Chapada do Vale do Rio Itaim, no Piauí.

O workshop, em parceria com a Semente Negócios – empresa de educação empreendedora, é parte do projeto Conexão Semiárido, que leva consultoria estratégica para estímulo de novos arranjos comerciais, e desenvolvimento de soluções tecnológicas para desafios de comercialização, até a região do semiárido brasileiro.

As oficinas irão tratar de temas como mercado e posicionamento, canais e entrega de valor, entradas e receitas, entre outros. Método e material didático foram adequados para o formato remoto – devido à pandemia da Covid-19, gerando uma tecnologia social inovadora que tem alto potencial de replicação em todo o Brasil.

“O objetivo das oficinas é estimular os negócios comunitários a revisarem seus modelos de negócio, identificando possíveis ações estratégicas que possam ser executadas ao longo do projeto para aumentar o potencial econômico e de geração de impacto socioambiental positivo desses negócios”, destaca André Ramos, da Conexsus.

Ao todo, 19 empreendimentos comunitários participam da iniciativa, que alcança aproximadamente 2 mil produtores da agricultura familiar, mais da metade deles são mulheres.

O projeto Conexão Semiárido é uma realização da Conexsus, do projeto Adaptando Conhecimento para a Agricultura Sustentável e o Acesso a Mercados (AKSAAM/UFV), da Fundação Arthur Bernardes (FUNARBE), da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e do Instituto de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (IPPDS), com apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Com duração de 15 meses, o projeto se concentra em cooperativas apoiadas pelos projetos FIDA no Nordeste, e conta com a Central da Caatinga (Central de Comercialização das Cooperativas da Caatinga) e a Coovita (Cooperativa de Produtores e Produtoras da Chapada do Vale do Rio Itaim) como parceiros locais.