Conexsus fala sobre a construção de um ecossistema de negócios sustentáveis no maior congresso sobre conservação do mundo

Voltar para Histórias de Impacto

Em painel, a organização falou sobre o papel da cooperação no desenvolvimento dos negócios de impacto socioambiental localizados em áreas protegidas na Amazônia

A cidade portuária de Marselha, no sul da França, se tornou por alguns dias a capital mundial da conservação e do desenvolvimento sustentável. Entre 04 e 07 de setembro, ela recebeu o Congresso Mundial de Conservação da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), o principal evento no mundo sobre o tema.

Reunindo a sociedade civil, povos indígenas e estados, o congresso debateu a agenda global de conservação da natureza em um momento em que a ligação entre a biodiversidade e o bem-estar humano se torna cada vez mais evidente pela pandemia de COVID-19.

A Conexsus esteve presente, na figura de sua co-fundadora e atual diretora executiva, Carina Pimenta, que participou virtualmente do painel ‘Colaboração para a proteção das pessoas e da natureza na Amazônia: o caso do programa Paisagens Sustentáveis da Amazônia’, iniciativa do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês) e do Banco Mundial que visa proteger a biodiversidade nas regiões amazônicas e implementar políticas que promovam o uso sustentável da terra e a restauração da cobertura vegetal nativa.

No painel, a partir da perspectiva do setor privado sobre a conservação, a organização falou sobre o papel da cooperação no desenvolvimento dos negócios de impacto socioambiental localizados em áreas protegidas na Amazônia. Segundo Carina, o desenvolvimento de uma economia da conservação passa pela construção de um ecossistema de apoio a esses negócios, apoio para se estruturarem, ganharem escala e garantirem viabilidade econômica que se traduza em impacto.

Para isso, é preciso pensar em alianças em diferentes níveis, que vão desde as chamadas “não usuais”, para ampliar a agenda de apoio ao desenvolvimento econômico dos pequenos negócios, como é o caso da parceria da Conexsus com o Banco da Amazônia – onde a organização atua como agente de crédito do banco para levar crédito e educação financeira a unidades de conservação, mas também passam por alianças locais e setoriais.

Também participaram do painel o vice-ministro do Meio Ambiente da Colômbia, Nicolás Galarza, a diretora do programa Andes-Amazônia da Fundação Gordon e Betty Moore, Avecita Chicchon, e a vice-presidente das Américas e diretora do escritório de Nova York da Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável, Emma Torres.

Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia

O Paisagens Sustentáveis da Amazônia é um programa regional, financiado pelo GEF, voltado especificamente para a Amazônia, envolvendo Brasil, Colômbia e Peru. O Banco Mundial é a agência implementadora do programa, que tem como diretriz principal a visão integrada do bioma, de modo a promover a conectividade entre os três países.

A iniciativa está alinhada com os objetivos estratégicos do GEF de promover a sustentabilidade dos sistemas de áreas protegidas, reduzir as ameaças à biodiversidade, aumentar o estoque de carbono, desenvolver boas práticas de manejo florestal e fortalecer políticas e planos voltados à conservação e à recuperação de áreas degradadas.

União Internacional para a Conservação da Natureza

Fundada em 1948, a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) é uma autoridade global sobre a situação do mundo natural e as medidas necessárias para protegê-lo. Composta por organizações governamentais e da sociedade civil, reúne a experiência, os recursos e o alcance de mais de 1.400 organizações e a contribuição de mais de 18.000 especialistas.

A missão da UICN é influenciar, encorajar e assistir sociedades de todo o mundo para a conservação da natureza, e assegurar que todo e qualquer uso dos recursos naturais seja equitativo e ecologicamente sustentável. A colaboração com governos nacionais e locais, comunidades e outros organismos, para que sistemas de áreas protegidas sejam criados e geridos corretamente, é uma das especialidades da UICN e constitui um de seus focos principais e das organizações que a compõem.