Inovação e diversificação podem garantir sobrevivência de negócios comunitários na pandemia

Voltar para Histórias de Impacto

Orgânicos e cooperação entre associados são iniciativas que despontam como alternativas para superação de perdas de comercialização durante a crise

A inovação nas formas de comercialização de produtos da agricultura, aliada à diversificação do que é oferecido ao consumidor e à cooperação entre produtores, é considerada fundamental para a superação da crise do coronavírus. Alternativas e ideias de ações foram os assuntos do Webinário “Comercialização na Pandemia: Histórias de Inovação de Cooperativas e Associações Produtivas”, realizado pela Conexsus e parceiros na última quarta-feira (24/06).

Mais de 200 cooperados e associados participaram do encontro virtual para saber mais sobre as soluções que algumas organizações encontraram para passar por essa crise e manter suas operações em funcionamento.

Os convidados falaram sobre as dificuldades que suas regiões têm enfrentado nesse momento e, na sequência, apresentaram as soluções que eles têm implementado no cotidiano. “São inspiração e caminhos a serem seguidos”, pontuou Pedro Frizo, da Conexsus, que foi o moderador da conversa.

Uma feira virtual, chamada de “Sua Feira em Casa”, foi um dos caminhos encontrados pela Cooperativa Central de Comercialização da Agricultura Familiar de Economia Solidária (CECAFES), que representa 17 cooperativas na região Sul do país, para lidar com a perda de mercado institucional.

Segundo Roberto Balen, presidente da organização, uma parceria com o Instituto Federal de Erechim deu origem à iniciativa. “É uma ferramenta nova, mas que tem sido essencial para apoiar uma nova estratégia comercial do cooperativismo da agricultura familiar. Também é oportunidade de o consumidor adquirir um alimento de qualidade, diretamente com o produtor”, afirmou. “É nas grandes crises que o cooperativismo dialoga com a população, cresce e se fortalece”, acrescentou.

Um dos consensos do encontro foi de que essas novas soluções aproximam o agricultor familiar do consumidor. Nesse contexto, a convidada Susana Silva, diretora da Cooperativa Agrícola Familiar de Seta Barras (COOPAFASB), contou que, no Vale do Ribeira, em São Paulo, os cooperados já ofereciam um serviço de delivery de cestas de orgânicos e, com a pandemia, ampliaram sua região de atuação. “Apesar de modificar bastante nossa forma de comercialização e organização interna, a gente consegue levar ao consumidor um produto com preço justo e direto na casa dele. É uma experiência muito bacana para as duas partes.”

A COOPAFASB também criou uma nova marca, a Lá do Kintal, para comercializar, no site da iniciativa, a preços acessíveis, produtos como palmito e banana orgânicos em versões diversificadas como em conserva, in natura, na forma de chips, doces e salgados.

Franquismar Maciel, coordenador executivo da Associação Paraense de Apoio às Comunidades Carentes (APACC) e da Rede Jirau de Agroecologia, foi outro convidado do Webinário. Ele explicou que os membros das associações participam das decisões ativamente e que essa cooperação tem sido fundamental para que todos consigam atravessar esse momento difícil.

Boa parte da renda dos associados era oriunda dos mercados institucionais, mas agora o foco tem sido as vendas de cestas de produtos agroecológicos. “A pandemia fez com que a gente se reinventasse e tem sido fantástico”, afirmou. Eles criaram um grupo no WhatsApp onde vendem produtos e, dessa forma, contribuem para a valorização da agroecologia junto aos consumidores. “É comida de verdade que a gente coloca na mesa deles.”

A alimentação orgânica, inclusive, foi outra tendência bastante apontada pelos inscritos que acompanharam a conversa e participaram nos comentários.

Rafael Arantes, analista em Regulação do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), trouxe o olhar da organização sobre o ponto de vista do consumo e da alteração das relações por conta da pandemia. Ele contou que a ativação das redes de parceiros foi decisiva para criar uma plataforma no site institucional que abrigasse o mapa de feiras orgânicas. A ideia é a de facilitar a busca por alimentos saudáveis durante a pandemia. “Também estamos trabalhando com políticas públicas para valorizar a soberania, a segurança alimentar e os modos de produção que priorizem a agricultura familiar, produzida de forma orgânica e agroecológica”, finalizou.

O webinário está disponível na íntegra no canal da Conexsus no YouTube e pode ser assistido logo abaixo:

Plano de Resposta e série de webinários

O Webinário desta quarta-feira foi o segundo de uma série de seminários online realizados pela Conexsus, em parceria com a União Nacional de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), o Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS) e o Fundo Vale, como parte do Plano de Resposta Socioambiental à Covid-19. As ações contam também com o apoio da rede de supermercados Pão de Açúcar, por meio do Instituto GPA, da Fundação Arymax, Fundação Good Energies, CLUA e Instituto Humanize.