Trilhas para Exportação anuncia organizações selecionadas para jornada de capacitação

Voltar para Histórias de Impacto

Ao todo, 40 organizações de impacto socioambiental, entre associações, cooperativas e pequenos e médios negócios, participarão da iniciativa

O movimento Negócios pela Terra e a Conexsus, no âmbito do programa Trilhas para Exportação, tornam públicos os nomes das 40 organizações de impacto socioambiental selecionadas pela iniciativa para participar de sua jornada de capacitação.

Com o objetivo de habilitar organizações para a exportação de produtos da sociobiodiversidade brasileira, o programa irá proporcionar mais de 28 horas de capacitação. Além de dar acesso a parceiros e prestadores de serviço de apoio à exportação, e visibilidade e promoção junto a redes de comércio ético e compradores internacionais.

Cada uma das organizações selecionadas foi avaliada por uma equipe mista, composta por membros da Conexsus e parceiros, a partir de critérios como a maturidade de gestão empresarial e organizacional, comercialização de produtos com potencial demanda internacional e impacto social relativo à diversidade e inclusão.

Abaixo, estão listadas – por região – as organizações (entre associações, cooperativas e pequenos e médios negócios) selecionadas para o programa:

Norte (37,5%)

    • AFHORTAMA – Associação dos Fruticultores Horticultores Apicultores e Meliponicultores de Araguacema (TO);
    • AMORERI – Associação dos Moradores da Reserva Extrativista do Rio Iriri (PA);
    • APIZ – Associação do Povo Indígena Zoró (RO);
    • ASPAC – Associação dos Produtores Agroextrativista de Canutama (AM);
    • AUREMAP – Associação dos Usuários da Reserva Extrativista Marinha de Araí-Peroba (PA);
    • COMARU – Cooperativa Mista dos Produtores e Extrativistas do Rio Iratapuru (AP);
    • COOCASIN – Cooperativa Extrativista de Castanha Indígena (RO);
    • COOPAITER – Cooperativa de Produção e Desenvolvimento do Povo Indígena Paiter Suruí (RO);
    • COOPERATIVA GARAH ITXA – Cooperativa de Produção e Extrativismo Sustentável da Floresta Indígena Garah Itxa do Povo Paiter Suruí (RO);
    • COOPERCINTRA – Cooperativa Nova Cintra (AC);
    • COOPERTAF – Cooperativa Tapajos da Agricultura Familiar (PA);
    • FEMAPAM – Federação dos Manejadores e Manejadoras de Pirarucu de Mamirauá (AM);
    • Karo Paygap – Associação Indígena Karo Paygap (RO);
    • Pacto das Águas (RO);
    • Peabiru Comércio de Produtos da Floresta Ltda. (PA).

Nordeste (35%)

    • ASCOSIME – Associação Comunitária de Sítio do Meio (CE);
    • Associação Povos da Mata de Certificação Orgânica Participativa (BA);
    • COOBEC – Cooperativa dos Beneficiadores de Castanha do Povoado Carrilho (SE);
    • COOPABEV – Cooperativa Mista da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Bebida Velha (RN);
    • COOPAFBASUL – Cooperativa dos Agricultores Familiares do Baixo Sul (BA);
    • COOPALM – Cooperativa dos Produtores de Palmito do Baixo Sul da Bahia (BA);
    • COOPAPI – Cooperativa Potiguar de Apicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável (RN);
    • CoopColab (BA);
    • COOPERBAC – Cooperativa Mista dos Pequenos Cafeicultores de Barra do Choça e Região LTDA. (BA);
    • COOPERBIO – Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar e Biocombustível (CE);
    • COOPERCUC – Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (BA);
    • COOPES – Cooperativa de Produção da Região do Piemonte da Diamantina (BA);
    • COOPONTAL – Cooperativa de Desenvolvimento Agropecuário e Extrativista do Pontal (PE);
    • UNICAFES-RN – Federação de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Rio Grande do Norte (RN).

Centro-Oeste (7,5%)

    • AHY – Associação Hanaiti Yomomo (MS);
    • ATIX – Associação Terra Indígena Xingu (MT);
    • Bioporã Caminho Vivo Indústria e Comércio de Alimentos LTDA. (GO).

Sudeste (12,5%)

    • CAFESUL – Cooperativa dos Cafeicultores do Sul do Estado do Espírito Santo (ES);
    • Cooperativa Grande Sertão – Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas Grande Sertão (MG);
    • CPC-ES – Cooperativa Mista de Produção e Comercialização Camponesa do Estado do Espírito Santo (ES);
    • FECAFES MINAS – Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Minas Gerais (MG);
    • MonCerrado Comércio e Exportadora de Café LTDA. (MG).

Sul (7,5%)

    • CECAFES – Cooperativa Central de Comercialização da Agricultura Familiar de Economia Solidaria (RS);
    • COOCASTEL – Cooperativa dos Agricultores Familiares da Colônia Castelhanos (PR);
    • COPAVI – Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória (PR).

 

A capacitação acontece, entre 18 de outubro e 10 de dezembro, de forma inteiramente virtual, em 4 módulos: Oportunidades do Mercado Internacional; Preparação para o Mercado Internacional; Marketing; e Operações. Cada módulo contará com conteúdos informativos, exercícios remotos, rodas de conversa e materiais de apoio.

A iniciativa conta com o apoio do programa Partnerships for Forests e do Programa de Facilitação de Comércio Brasil – Reino Unido, apoiados pelo governo britânico no país e implementados pela consultoria Palladium. E conta também com a parceria da Associação Floresta Protegida, Bio Fair Trade, Central do Cerrado, COOPAVAM, Empório do Cerrado, Mulheres no Comex, Observatório Castanha-da-Amazônia, Origens Brasil, UNICAFES e WWF.